Revista Bang!
A tua revista de Fantasia, Ficção Científica e Horror, onde podes estar a par das novidades literárias, eventos e lançamentos dos teus autores de eleição.

Monstress

Quando humanos e monstros colidem. por Safaa Dib (Artigo na BANG 22)

Nota de atualização :

“Monstress” de, Marjorie Liu e Sana Takeda, arrebataram cinco prémios dos Eisner Awards 2018, considerados pelos especialistas e fãs de BD, como o prémio mais importante para este género, ganharam para best continuing series, best publication for teens, best painter/multimedia artist, best cover artist and best writer.

Marjorie Liu, foi a primeira mulher a ganhar o prémio de Best Writer nas trinta edições.

As autoras estarão presentes nesta edição de 2018 da Comic Con, dias 6,7,8 e 9 de Setembro. Sabe tudo aqui.

 

Diversidade e Inclusividade

Para quem acompanha as comunidades de autores e leitores do género fantástico, tem sido fácil ver como uma das suas prioridades mais recentemente tem sido dar um maior destaque a histórias que representem mulheres e minorias. Esta tem sido uma questão transversal a que a Banda Desenhada norte-americana também não tem sido imune.

As novas histórias não tão dominadas por personagens brancas, heterossesuais ou americanas têm permito gerar trabalho
inquestionavelmente mais sofisticado, profundo, desafi ante e aberto território para a exploração de questões fraturantes na sociedade como racismo, intolerância, xenofobia e todos os estigmas daí resultantes.

MONSTRESS, escrito por Marjorie Liu e magnifi camente ilustrado por Sana Takeda, é uma dessas histórias que põe a nu a diferença do outro e o modo como marginalizamos e ignoramos aqueles que exibem essa diferença. A história decorre num mundo alternativo, reminiscente da Ásia oriental do séc. XIX, onde não faltam infl uências steampunk, e apresenta-nos como protagonista Maika Meiolobo. Logo na primeira página, Maika entra em cena nua, marcada com uma cicatriz no peito, mutilada (falta-lhe um braço) e escravizada. E, no entanto, a sua postura é altiva e desafiante.

É uma apresentação cruel da protagonista, mas necessária para compreender que o mundo em que se move assenta em violência e velhos ressentimentos que nasceram de guerras complexas.

 

Uma Mulher Monstra

Maika

Maika é uma Arcânica, pertencente a uma raça híbrida de humanos e deuses. Como todos os Arcânicos, detém poderes especiais que são cobiçados pelas bruxas-freiras, as Cumaea, que escravizam e matam os Arcânicos, não sem antes os submeter a experiências científicas. A presente história começa quando já impera uma trégua precária entre humanos e Arcânicos, após uma
guerra devastadora. Há ainda o espetro da violência a pairar em paisagens desoladas dizimadas pela guerra, mas também cidades a serem reconstruídas e populadas de novo. Os Arcânicos são uma raça especial, mas Maika é ainda mais especial pois é constantemente atormentada por uma entidade, uma criatura, que habita misteriosamente no seu interior e que tenta tomar controlo do seu espírito. É uma criatura velha, faminta, e que a isola ainda mais, tentando destruir a sua humanidade.

Quando Maika cai nas mãos da Cumaea, é com a intenção deliberada de tentar descobrir qual o envolvimento das bruxas na morte da sua mãe, Moriko Meiolobo. Há segredos do passado por revelar e que podem explicar a negritude que parasita a alma e o corpo da jovem.

 

O Despertar:

o Despertar

O primeiro volume, Despertar, alterna entre o passado e o presente e apresenta os principais intervenientes das guerras milenares que se travam nesta Ásia oriental alternativa (ver tópico das Raças).

Maika cria muitos inimigos, mas também irá encontrar ao longo do caminho personagens amigas como o gato Ren, a raposa Arcânica Kippa ou a sua amiga Tuya. Na luta titânica entre forças sobrenaturais que abalam o mundo de Maika, a autora nunca nos deixa esquecer como na verdade ela não passa de uma jovem a crescer e a tentar lidar com as dores de ser diferente e mutilada. Consciente do perigo que ela representa para as pessoas à sua volta, tenta proteger o mundo do monstro que a habita.

Nas palavras da própria autora, de origem chinesa e americana, “Como é que alguém ultrapassa a monstruosidade de outros sem sucumbir a uma monstruosidade crescente no seu interior?” A essência de MONSTRESS está nesta questão que irrompe através de Maika. Toda a sua vida conheceu apenas crueldade e a necessidade pela sobrevivência, e agora a sua principal motivação é vingança, a vingança pela morte da sua mãe e a verdade sobre as circunstâncias do seu falecimento, mas só se o monstro no seu interior a deixar… Uma história ambiciosa e complexa, MONSTRESS não poderia ser o sucesso que é sem o desenho rico e sumptuoso da artista japonesa Sana Takeda. Deslumbrante e a fugir ao traço mais comum das bandas desenhadas norte—–americanas, o mundo de MONSTRESS torna-se vibrante e inesquecível.

O SANGUE:

Maika Meiolobo está a ser perseguida por uma coligação de forças determinada a controlar e a destruir a poderosa criatura demoníaca que habita dentro de si. Mas Maika não descansará enquanto não cumprir a sua missão: descobrir os segredos da sua falecida mãe, Moriko.

Nesta sequela, a jornada de Maika irá levá-la à cidade de Thyria, controlada por piratas, e através dos mares à misteriosa Ilha dos Ossos. Será uma viagem que irá forçar Maika a reavaliar o seu passado, presente e futuro e onde irá aprender que não pode confiar em ninguém, incluindo no seu próprio corpo…

 

 

 

 

A Mitologia de Monstress

Existem cinco raças a habitar o mundo
de MONSTRESS e que já se envolveram
em várias guerras devastadoras milenares:

 

 

Anciãos:

Uma raça poderosa que assume a forma de certos animais e abençoada pela deusa lunar Ubasti com magia, sabedoria e imortalidade. Os Anciãos guerrearam durante séculos entre eles até que a Rainha dos Lobos matou pessoalmente o Grande Urso Rei Bahru, conduzindo à separação das cortes do Ocaso e da Aurora.

Arcânicos:

Filhos descendentes de humanos e Anciãos. Um homem mortal e uma mulher Anciã conceberam a primeira criança híbrida, com rosto humano. A mãe conseguiu proteger a sua criança, a primeira Arcânica, que viria a tornar-se a Imperatriz Xamã. Muitos outros Arcânicos mais tarde nasceram, pois são capazes de se reproduzir depressa e nem todos com aparência humana. É uma raça que possui alguns poderes devido à sua linhagem Anciã.

Gatos:

Os Gatos são a raça mais antiga e fi lhos de Ubasti, que é mais velha que os Velhos Deuses. Com os seus filhos, os Gatos, Ubasti baniu os Velhos Deuses durante a Guerra da Aurora. São criaturas inteligentes, conhecidos como espiões e manipuladores. Um gato pode ter uma ou várias caudas, andar sobre dois pés e usar armas.

Humanos:

Crê-se que os humanos são uma raça amaldiçoada pela deusa Ubasti por traírem a sua confi ança. Começaram por ser apenas barbatanas e escamas, e dizem os poetas que se tornaram uma casta exilada a quem foi negada a magia, embora algumas mulheres humanas nasçam com poderes mentais que imitam o Arcano. As Cumaea são uma organização religiosa que procura mulheres com tais poderes e raptam-nas para a sua ordem.

Velhos Deuses (monstra):

Outrora uma raça poderosa e destrutiva que ameaçou a natureza do mundo, foram banidos por Ubasti, mas acredita-se que ainda vagueiam na forma de aparições inofensivas. Ainda há cultos que os veneram e são representados pelo símbolo de um olho.

%d bloggers like this: